“Estado angolano está perdido” afirma sociólogo Memória Ekuluka

Em entrevista exclusiva à Rádio Cuquema, o também docente universitário defende a necessidade do Estado angolano proteger pessoas com algum capital financeiro. Para ele, o problema do Estado é mostrar trabalho para camuflar eventuais erros que estão a ser cometidos pelo atual governo.

“João Lourenço está a desprezar José Eduardo dos Santos,  esta prática é recorrente no MPLA, partido que governa Angola desde a Proclamação da Independência a 11 de Novembro de 1975. Um dia o atual Presidente será também desprezado pelos futuros inquilinos do Palácio da Cidade Alta”, declara o sociólogo.

O também ativista dos direitos humanos, pensa ser provável que a intenção de José Eduardo dos Santos, quando defendia a importância de termos pessoas com alguma posse no nosso país, era que estes pudessem sustentar a economia nacional, criando novos postos de trabalho, para que o Estado deixasse de ser o maior empregador de Angola.

Memória Ekulika, afirmou também que o Presidente da República de Angola, João Manuel Gonçalves Lourenço não começou bem a sua governação, não vai continuar bem e não vai acabar bem apesar de algumas “reformas” que estão a ser efetuadas pelo seu Governo.

O ativista, entende que se deve estudar os feitos de José Eduardo dos Santos, presidente que liderou o país durante 38 anos, uma vez que durante o seu percurso muitos feitos foram alcançados, tais como a vitória das forças governamentais na batalha do Kuito Kuanavale, as batalhas contra a UNITA e conseguir manter-se no poder desde 1979, altura em que sucedeu António Agostinho Neto que morreu em Moscovo no mesmo ano.

De recordar que no dia 26 do corrente mês, o presidente João Lourenço completa três anos desde a sua investidura como presidente de Angola, tendo defendido na altura o combate à corrupção e a reforma do Estado como bandeira da sua administração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *