Cuito: cidadãos desafiam as restrições da covid-19 e cumprem rituais do dia dos finados

Numa ronda efetuada em alguns cemitérios a nível desta cidade martirizada, constatou-se que muitos jovens, adultos e adolescente não ficaram convencidos ou satisfeitos com a medida implementada pelo governo que proíbe a rumaria aos cemitérios e outros rituais relacionados à efeméride.

Alguns cidadãos no Cuito consideram o dia 02 de novembro como sendo uma data ideal para matar saudades daqueles que jã não fazem parte do mundo dos vivos, enquanto outros consideram que não é apenas nesta data que podemos nos lembrar dos que já partiram. Mesmo sabendo das medidas implementadas, há quem aproveita o dia para para fazer comércio, é o caso da dona Maria Tchitola que chegou as 5h no cemitério municipal do Cuito para vender flores e vasos.

Não obstante o docente e sindicalista Nunes Ndavoca , diz que os cidadãos devem acolher esta medida de bom grado pois que as medidas que atualmente são impostas não são para os que partiram e sim os que estão em vida. Já para aqueles que consideram um dia de festa e de comercialização por ser feriado a nível nacional, o sindicalista recorda que a decisão veio expressa no comunicado do governo provincial, isto no dia 28 de outubro, que determina estarem suspensas todas e quaisquer atividades em volta desta efeméride tais como rumarias aos cemitérios atos religiosos de massas ou similares segundo o comunicado, nessa data é aconselhável ficar em casa, cumprindo-se com as normas de biossegurança e agir-se em obediência às orientações das autoridades sanitárias. Só desta forma é que estaremos a honrar a memória dos que já partiram, acrescentou o jurista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *